terça-feira, fevereiro 07, 2012

Falar claro

O novo governo espanhol volta a falar de transvases nas bacias hidrográficas ibéricas.
Em 1998, o governo Guterres, pela mão da sua ministra do ambiente Elisa Ferreira, assinou com Espanha o Convénio de Albufeira que era suposto assegurar caudais mínimos na entrada em Portugal dos rios Minho, Lima, Douro, Tejo e Guadiana. Houve quem considerasse que esse acordo já era nefasto para os interesses portugueses.

Em 2008, o ministro socratino Francisco Nunes aceitou rever esses mínimos, com prejuízo para Portugal, alegando que tinhamos de compreender os problemas de Espanha onde a seca era mais grave que a nossa. Um patriota, o Nules.

Vamos ver agora como reage a ministra Cristas ao que o congénere castelhano Cañete está a preparar. Nestas coisas não há paninhos quentes: ou se afirma com toda a clareza e determinação a linha vermelha que nunca aceitaremos que ultrapassem ou se gagueja umas nulidades para esconder a incompetência.

1 comentário:

  1. Neste momento a seca é mais grave cá...

    JAC

    ResponderEliminar