sexta-feira, maio 22, 2015

O norte na frente, mas infelizmente não pelas melhores razões



"Lisboa foi a única região portuguesa a ter, em 2013, um PIB per capita acima da média da UE, ainda que de apenas 8%, sendo que em todas as outras regiões a riqueza média por habitante ficou abaixo..."
"Já o Norte foi a região com um PIB per capita mais baixo, representando 64% da média europeia, seguido do Centro (67%), Alentejo (72%) e Algarve (79%). Nas regiões autónomas, nos Açores o PIB per capita foi de 71% da média europeia e na Madeira de 74%..."

in: http://www.sol.pt/noticia/392913 (fonte: Eurostat)

terça-feira, maio 19, 2015

Santo Ivo - dia dos advogados 19 de Maio

A propósito do dia de hoje aqui ficam divulgadas um conjunto de iniciativas, no âmbito da semana do advogado, que o C. D. do Porto da Ordem dos Advogados promove.


segunda-feira, maio 04, 2015

O problema da desigualdade de resultados nas economias ditas capitalistas

Vale a pena ler hoje o João Carlos Espada no Público. O tema é muito interessante na minha perspectiva, coloca a discussão da redistribuição dos resultados  paralela com a do conceito de liberdade. O que para um Liberal como eu é uma forma muito directa de ver a coisa.
É frequente confundirmos o ponto de partida com o de chegada. Confundirmos a capacidade que uma sociedade tem de colocar todos na mesma linha de meta com a preocupação com aqueles não chegam lá. Limitar o resultado dos que chegam primeiro à meta pode ter o resultado inverso ao que pretendermos, que um maior número lá chegue.
Mas quem sou eu para acrescentar o que quer que seja ao que está escrito no artigo.
Leiam que vale a pena!

sexta-feira, maio 01, 2015

A COLIGAÇÃO E O CN DO CDS DE 29 DE ABRIL

No Conselho Nacional do CDS o MAR fez afirmar que "o acordo tem de ser mais do que por poder", mas antes em torno "de um programa".

 "Tem de haver uma preocupação grande ao nível social e tem de haver também uma grande abertura para se repensar o próprio Estado, conforme foi o propósito desta coligação, para ser possível a aspiração de baixar os impostos e a carga que existe hoje nas famílias e nas empresas", defendeu FAC como relatado aqui .

quarta-feira, abril 29, 2015

terça-feira, abril 28, 2015

A coligação psd-cds

No dia 25 de Abril Pedro Passos Coelho e Paulo Portas apresentaram a coligação que se esperava. Ou pelo menos que eu esperava. Não podia ser de outra forma e por duas razões:
1) porque é de momento a melhor solução para Portugal
2) porque os portugueses não entenderiam que assim não fosse

Como tenho dito e redito acredito na vitória da coligação. Ficando, para já, a dúvida da maioria absoluta. Essa decisão/opinião guardo para mais à frente, Mas é possível desde que não sejam cometidos erros de querer prometer o impossível e perceber de uma vez por todas que os portugueses distinguem bem quem lhes está a tentar vender banha da cobra.

Voltando à questão da apresentação da coligação, eu teria feito a apresentação mais em finais de Junho. Até lá, António Costa e o PS continuariam sem saber para onde atirar. Agora sabem que a mira é só uma. Mas percebo que houvesse uma necessidade de acalmar os partidos. (se bem que pelo que vi em post abaixo isso ainda esteja longe :)).

Entremos pois em período eleitoral.




Coligação

Miguel Alvim, diz aqui :

"- Pela enésima vez, em vez de ouvir previamente o partido, Paulo Portas decidiu sozinho. Viu nas estrelas um caminho que agora vai plebiscitar ao Caldas".


É pena.


Portugal que é capaz merece melhor.


Mais!


Ainda vamos conseguir.

segunda-feira, abril 27, 2015

FCP

Os tempos não estão fáceis para os lados do Dragão.

A pesada derrota em Munique, a incapacidade de marcar na Luz, aliada a um evidente mal estar no plantel e na equipa técnica, a acabar no infeliz episódio do "Mister" portista tem, historicamente, algo de bom:

- O Porto só pode melhorar!

sexta-feira, abril 17, 2015

TAP, um fim anunciado

Ao ver as sucessivas ameaças de greve dos pilotos, sempre sustentadas num rol de reivindicações, é fácil acreditar que não vai haver comprador interessado naquela casa.

Como diz Fernando Pinto qualquer dia não à TAP. E a culpa é do corporativismo absurdo que ali existe.

E com tanta garganta estes senhores não se chegam à frente? isso é que era de homens. Agora o que se vê é um bando de garotos a brincar com o nosso dinheiro.


quarta-feira, abril 15, 2015

A mudança !


Vale a pena ouvir aqui a mensagem  do primeiro-ministro britânico nesta Páscoa de 2015!


 A propósito:

É do passado a notícia de que o Real Madrid, mudou o seu símbolo ao sabor de interesses mais altos. É verdade,  o clube decidiu passar a usar o escudo editado, sem cruz, portanto, para não ofender os potenciais consumidores de país muçulmano.

É também do presente a notícia de que nos novos equipamentos da FPF, não obstante a intolerância de alguns (http://www.ionline.pt/artigos/70325-muculmanos-proibem-equipamento-da-seleccao-nacional) , mantêm e bem a Cruz de São Jorge


A selecção nacional, a comemorar 100 anos de história, está de parabéns!



terça-feira, abril 14, 2015

Informática

  • Os agentes de execução estão há mais de 48 horas sem sistema informático. 
  • A responsabilidade, desta feita, não se pode apontar à Ministra da Justiça, mas os prejuízos e atrasos são para todos.
  • A imagem da nossa justiça não pode ser esta, constantemente sujeita a problemas. 

segunda-feira, abril 13, 2015

Jantares para uma semana

Continuo a apostar com amigos que a coligação vence as eleições legislativas deste ano de 2015. Sim, as minhas apostas não são nos mercados de futuro.

Só me falta ali um dia, terça-feira em princípio, Por isso se houver alguém que queira apostar esteja á vontade. O restaurante já escolhi: Papa Açorda. Tenho saudades dos croquetes e do arroz de tomate.

E esta sondagem mais força me dá.

domingo, abril 12, 2015

Duas rapidinhas sobre o fisco

Tenho andado arredado destas bandas, mas há tanto para dizer. Tivessem os dias mais horas e a coisa era mais fácil. Por isso aqui vão duas rapidinhas sobre o fisco e a "escandaleira" que parece tem animado as hostes.

1 - Lista VIP

o grave da questão não é a criação de uma lista VIP que a vir a existir contemplaria um grupo alargado de personalidades, e não apenas os 4 nomes que vieram a público, que por norma são alvo de "olhos alheios". infelizmente a raça humana é cusca e gosta de olhar para o quintal do vizinho. E esta suposta necessidade partiu da constatação óbvia de que o sistema das finanças está de acesso livre a milhares de pessoas, muitas delas externas aos serviços. Lindo serviço.

e para dignificar cargos e funções temos que criar mecanismos que os defendam do voyerismo bacoco.


2 - Restaurantes denunciados por dívidas ao estado

qual a diferença entre um restaurante e uma empresa de construção civil ou uma sapataria? são negócios e como tal têm responsabilidades certo? pois então qual o espanto? quantas e quantas vezes recebo na minha empresa cartas das finanças para cobrarem possíveis créditos sobre fornecedores meus? agora será também sobre restaurantes. Paciência. Quem não deve não teme.

É apenas mais uma forma de meter um setor dentro do sistema de impostos.


pronto, está dito.

sábado, abril 11, 2015

A ferver.



No espaço de muito pouco tempo houve uma sequência de acontecimentos verdadeiramente catastróficos para o PS de António Costa. 
Após a defenestração de Seguro, sem apelo nem agravo, com fundamento no novo conceito de "escassa vitória", Costa não só não descolou, como atolou.
Teve um estado de graça na desgraça, escondendo a sua incapacidade no cataclismo do caso Sócrates.
Quando o caso Sócrates começou a ensombrar menos o PS, arrancou para a Madeira feliz e saltitante. Não conseguiu "escassa vitória", nem sequer "crescimento assinalável", foi mesmo uma pesadíssima e humilhante derrota.
Tentando distrair atenções, depois de um folhetim lamentável em praça pública sobre o salário do secretário-geral do Rato, abandona a câmara, dando o dito por não dito, assumindo que já há muito nada fazia por quem nele votou para Lisboa. Medina, o cooptado, logo anunciou que iria tapar os buracos infinitos que Costa negligenciou e resolver a questão das cheias que Costa sentenciara insolúvel! Estamos conversados.
Por fim, de forma aparentemente inesperada, deixa-se embrulhar nas malhas do processo presidencial de forma alucinante, atraindo quem não interessa e afastando de vez os únicos activos capazes de chegar a Belém.
A candidatura de Henrique Neto que, por muito que assobiem para o lado, é socialista com cartão e de longa data. A "resposta ao apelo cívico" do professor Nóvoa, a quem Costa deu colo e alimentou sonhos de grandeza. O posicionamento de Carvalho da Silva, sem dúvida o mais capaz, condicionando todo o espaço à esquerda. O oportunismo característico de Morais, aproveitando a confusão, para se lançar. Enfim, uma enorme salganhada com um único responsável político: António Costa. A sua tibieza, a permanente indefinição, a falta de rumo e de autoridade política, a total ausência de credibilidade, permitiram este descalabro.
Sem surpresa, os dois melhores activos presidenciais do PS, Gama e Guterres, depressa vieram dizer que nada têm a ver com esta mixórdia; o seu prestígio não é para desbaratar às mãos dos galambas da vida que acompanham Costa nesta viagem sem mapa, sem bússola e sem tino nem destino.
A esta hora, já Vitor Ramalho deve estar a trabalhar na candidatura de Mário Soares, lembrando a todos os camaradas que o Manoel de Oliveira esteve activo e com sucesso até aos 106 anos.
Seguro não precisou de esperar para rir por último; ri todos os dias. Perdidamente.