sexta-feira, fevereiro 27, 2015

A política está a mudar

 
A política está a mudar. Prova disso é o ciclo de Novos Partidos e Movimentos Políticos em Portugal.



sábado, fevereiro 21, 2015

À espera dos bárbaros (3)


Fazendo fé no que conta o jornal ‘Expresso’ de hoje, a ministra Albuquerque “… espera que a maioria dos países não aceite facilidades em excesso para Atenas”.

Desconfio que a Madame Maria Luís tem saudades do tempo em que terá sido chefe de turma no colégio do bairro e do prazer que então lhe dava indicar os faltosos. O síndroma do capataz é coisa conhecida desde há muito tempo e essa “promoção social” leva o próprio a ser mais papista que o papa e muitas vezes a fazer figuras tristes como aquela de ir a casa do mestre para lhe servir de exemplo e assim receber um santinho de S. Firmino assinado pelo cura.

Cada um tem as suas idiossincrasias e gere como pode os seus traumas psicológicos mas se isso se repercute na vida de um povo e de um Estado, então a coisa fia mais fino.

 Se as “facilidades” que venham a ser concedidas à Grécia viessem a ser extensivas a Portugal, isso seria bom para nós ou não? É que chega-se a um ponto em que é muito difícil perceber a racionalidade, se é que há alguma, nestas posturas de Torquemada de aldeia.

segunda-feira, fevereiro 16, 2015

À espera dos Bárbaros (2)


Consta que a Comissão Europeia preparara um documento de trabalho para a reunião do Eurogrupo de hoje, documento que o governo grego considerava aceitável, e que haviam decorrido contactos construtivos antes da reunião entre o governo grego e a Comissão.

Eis que o Sr. Dijsselbloem, o presidente do Eurogrupo , apresenta na reunião um projecto de conclusão em que se exige aos gregos a extensão do programa actual e que estes tal aceitem até ao fim desta semana.

Estamos claramente em atmosfera de ultimatos. Dir-se-ia que há uma certa europa que pode flexibilizar qualquer coisa desde que previamente o governo grego se ajoelhe.

Tá bonito!

Mudar a Bem – Encontro de Emergência Nacional


Filipe Anacoreta Correia, a Norte, vai tomar posição sobre a atual situação política e apresentar a iniciativa acima indicada que vai ter lugar em Lisboa a 7.3.2015.  Ainda bem!
 
A sessão  será na sede do CDS-Gaia, na 2a-feira, dia 23.02.2015, pelas 21,30h, na Rua Azevedo Magalhães, 695 – R/C 4430 – 024 Oliveira do Douro/V. N. de Gaia; GPS: 41.130496,-8.595826 .

 

quarta-feira, fevereiro 11, 2015

Mudar a bem

MAR "está organizar um encontro de emergência nacional, que decorrerá em Março, em Lisboa, e conta já com a presença de dois ex-líderes do CDS: Manuel Monteiro e Ribeiro e Castro. Denominada Mudar a bem – Encontro de emergência social, a iniciativa é aberta a militantes e a independentes e o objectivo “é mobilizar as pessoas” para a necessidade de se fazerem mudanças".

E bem, estamos em maré de actuar como se diz aqui .

quarta-feira, janeiro 28, 2015

Forte de São Francisco Xavier

O Porto sem o Castelo do Queijo, tal como o conhecemos, custa a imaginar.
 
 Não acredito que fiquemos sem o bonito Forte de São Francisco Xavier, nosso património e até dos famosos  Draganes!
 
Certamente que muito mais haverá que dizer em relação ao que consta aqui
 
 

segunda-feira, janeiro 26, 2015

"À espera dos bárbaros"


O que esperamos na ágora reunidos?
É que os bárbaros chegam hoje.

Por que tanta apatia no senado?
Os senadores não legislam mais?
É que os bárbaros chegam hoje
Que leis hão de fazer os senadores?
Os bárbaros que chegam as farão.
Por que o imperador se ergueu tão cedo
e de coroa solene se assentou
em seu trono, à porta magna da cidade?
É que os bárbaros chegam hoje.
O nosso imperador conta saudar
o chefe deles. Tem ponto para dar-lhe
um pergaminho no qual estão escritos
muitos nomes e títulos.
Por que hoje os dois cônsules e os pretores
usam togas de púrpura, bordadas,
e pulseiras com grandes ametistas
e anéis com tais brilhantes e esmeraldas?
Por que hoje empunham bastões tão preciosos,
de ouro e prata finamente cravejados?
É que os bárbaros chegam hoje,
tais coisas os deslumbram.
Por que não vêm os dignos oradores
derramar o seu verbo como sempre?
É que os bárbaros chegam hoje
e aborrecem arengas, eloquencias.
Por que subitamente esta inquietude?
(Que seriedade nas fisionomias!)
Por que tão rápido as ruas se esvaziam
e todos voltam para casa preocupados?
Porque é já noite, os bárbaros não vêm
e gente recém-chegada das fronteiras
diz que não há mais bárbaros.
Sem bárbaros o que será de nós?
Ah! eles eram uma solução.
Konstantinos Kavafis (1863-1933)

sexta-feira, janeiro 23, 2015

TAKITALITALÁ

Ele passa os dias a saltitar prakipralipralá.
Ele sempre takitalitalá, excepto onde devia estar.
Usa a CML como trampolim para tarkitarlitarlá.
Usa a CML para aparecer porkiporliporlá.
Usa a CML para lhe pagar o salário de saltitão.
Palavras para quê?
Ele é António! Ele é de Lisboa!
Ele é um verdadeiro artista tuga!

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Uma mão cheia de boas notícias

Os últimos dias tem permitido conhecer algumas boas notícias. Não chega para deitarmos os foguetes todos, mas são bem elucidativos dos enormes feitos da economia portuguesa e claro da governação.






Senão vejamos:

1 - Turismo cresce 10% em 2014

Poderíamos estar a beneficiar da crise em habituais países turísticos mas estamos a crescer mais do que Espanha que é conhecida por ser uma forte concorrente. E não é só Lisboa ou o Algarve. O centro e o Norte também, que após anos a ter taxas de crescimento de 4% viu 2014 apresentar uma taxa de crescimento de 10%.


2 - Pagamento antecipado ao FMI

Havia o grupo dos defensores do não pagamento, havia o grupo dos defensores da renegociação da dívida e haviam aqueles que defendiam o cumprimento das nossas obrigações. Estes últimos governavam Portugal. E bem com se pode ver pois até já estamos em condições para pagar a parte que o FMI nos emprestou. Uma boa gestão.

3 - Fisco devolve 3,6 mil milhões de euros

Este é um ato normal do governo. O anormal diria é que este pagamento aconteceu 8 dias antes do prazo legal para o fazer. Ou seja é um valor devolvido à economia real.

4 - Novas empresas crescem

São mais as empresas que abrem do que as que fecham. Ou seja, a normal e natural seleção que obriga a fechar quem não tem condições de trabalhar honestamente não assustou a capacidade empreendedora dos portugueses. E claro que isso só acontece porque os portugueses sentiram confiança na política económica do governo.

5 - Menos desemprego em 2014

O desemprego em 2014 manteve a tendência de descida mas acima de tudo o importante mesmo é que houve criação de emprego.

Bem sei que vão aparecer os que dizem que é curto. Mas a esses eu mandava que olhassem para 2011 e comparassem. Ok?

segunda-feira, janeiro 19, 2015

Quem é afinal o pai do boom turístico no Porto?

Rui Moreira,  o Turismo de Lisboa, o Empresário do Porto?

Está tudo em grande forma aqui!

Uma coisa é certa:
- "Não há rapazes maus ", como ensina o Pai Padre Américo.

Mas já agora, como  aqui , fica o apelo:

-"Deixem trabalhar"!

domingo, janeiro 18, 2015

2º Encontro Nacional de Leigos

“Quando o Homem perde a sua humanidade, o que nos espera? (…) uma política, uma sociologia, uma atitude «do descartável»: descarta-se o que não serve, porque o Homem não está no centro. (…) Portanto, a ideia é salvar o Homem, no sentido que volte para o centro: da sociedade, dos pensamentos, da reflexão. (…) É o rei do Universo! E esta não é teologia, não é filosofia — é a realidade humana. Com isto, vamos em frente.“ 

Papa Francisco, 12 de julho de 2014

"Recolocar o Homem no centro da sociedade, do pensamento e da vida" é o desafio presente no 2º Encontro Nacional de Leigos, aberto à sociedade civil, que terá lugar no dia 24 de janeiro de 2015, na Alfândega do Porto.

Porque acredita que a Pessoa Humana e a sua dignidade única são o fim de toda a procura e de toda a resposta criativa às necessidades e urgências do mundo; porque acredita que esta procura e esta resposta fazem-se com todos os homens e mulheres, a Conferência Nacional de Associações de Apostolado dos Leigos (CNAL) convida todos a participar neste dia de encontro, de reflexão e de festa!


As inscrições ainda estão abertas. Veja aqui




sábado, janeiro 10, 2015

O fim do malfadado jacobinismo?


Por motivos óbvios, tenho reforçado a minha atenção à opinião que se tem publicado estes dias na Europa. É muito interessante ver que, depois da cruzada jacobina iniciada nos idos de 1789, e que a esquerda sua herdeira tem levado a cabo desde então com assinalável sucesso, se começa a falar do regresso imprescindível e urgente à matriz cristã da Europa. Foram anos e anos de luta tenaz e persistente que a esquerda jacobina empreendeu para subverter a familia tradicional, impor o relativismo ético, acabar com a sólida solidariedade cristã, dinamitar os alicerces do estável mundo ocidental que conheciamos.
Joseph Weiler e Roger Scruton andaram quase solitários a pregar no deserto durante anos. Curiosamente, nos últimos dois dias ganharam uma legião de seguidores, confessos ou não.
Não é muito dificil aceitar que uma Europa assumidamente ligada à sua matriz cristã, elemento fundador e agregador, cumprindo a sua vocação de tolerância, abertura, pluralidade e acolhimento, mas com uma identidade própria identificável e reconhecível, estaria muito mais capacitada para se posicionar e fazer respeitar no mundo confuso dos nossos dias.

quarta-feira, janeiro 07, 2015

O CDS mostra “debilidade” com arrastar de decisão sobre coligação? FAC diz que sim, aqui.

O AR tem razão.

É caso para dizer:

- "Se pensa como nós, junte-se a nós"!

Luto

Não consigo deixar de pensar numa conversa que tive há uns tempos com um amigo muçulmano. Chocava-o o facto de eu, católico praticante, ser um fã incondicional dos Monty Python; de ter visto vezes sem conta a Vida de Brian e o Sentido da Vida. Sim, rio-me com boas piadas sobre a Igreja, como me rio quando algum amigo faz uma piada bem apanhada sobre mim. Não respeito menos a Igreja a que pertenço por me rir com uma caricatura que dela é feita. Não me diminuo se me rio quando alguém me amplia satiricamente um ou outro tique que consolidei com os anos.
Há ainda uma outra vertente, a das piadas que não têm piada nenhuma, pelo menos na minha opinião ou no meu gosto. Lembro-me em particular de um preservativo no nariz do Papa e de alguns cartoons sobre os casos de pedofilia na Igreja. Zanguei-me? Nem por sombras! Impor os meus gostos ou convicções, é coisa que não me passa pela cabeça. Defendê-los com garra e em respeito para com outras opiniões, é algo de que não abdico. É assim que se vive em democracia e liberdade, é assim que não podemos deixar de viver.
Por tudo isto, e porque temos de partilhar o espaço que este mundo nos proporciona, a tal conversa não me sai da cabeça.