sexta-feira, agosto 28, 2009

O Programa eleitoral do PSD


Vale a pena ler o programa eleitoral do PSD. No final resultará uma clara distinção daquilo que são as propostas fantasiosas do Partido Socialista.
Não há medidas grandiloquentes, para encher o sound byte eleitoralista;
Não há promessas fáceis para comprar votos;
Não se vendem nem se escondem desafios;
Não se acena com facilitismo;
Não se disfarçam dificuldades;
É, sobretudo, uma pedrada no charco, um marcador que distingue duas formas de estar e de fazer política. Não se adere a uma postura de ganhar a todo o custo.
Assumindo os riscos das opções políticas tomadas, percebe-se a justeza de quem se conforma com o resultado das suas acções. Numa palavra, adivinha-se uma cultura de responsabilidade e exigência, onde não se pretende ganhar a qualquer custo, mas ganhar por mérito.
E se isto já seria bastante, agradam-nos os princípios que inspiram as opções a apresentar a sufrágio, como sejam a da libertação do peso do Estado e do relevo dado à iniciativa privada. E isto num tempo pouco favorável a liberalismos. É por isso que, no final, forçoso será reconhecer que - ao arrepio daquilo que se esperaria - não deixa de sobejar a este programa muita ambição.
Pode-se dizer que haveria aspectos particulares a serem melhor especificados ou que subscreveríamos outras soluções em certos e determinados assuntos. Mas tais factos não inquinam o corpo central da proposta e a sua essência definidora.
Aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário