quinta-feira, setembro 30, 2010

No semáforo pela manhã.

Comme d´habitude, acordo bem disposto e preparo-me para viver mais um dia glorioso. Nada como o Sol para nos fazer sentir vivos e fazer as pazes com o mundo em geral e o país em particular.
No caminho para a minha vida fora de casa, aproximo-me do mar que esta manhã parece um lago (que espectáculo), e vou em fila lenta até chegar ao semáforo.
Observo os meus companheiros do asfalto:

Naquele furgão meio abandalhado reina a alegria muito por culpa da boazona de fato de treino que acabou de passar. Vão trabalhar para as obras. Que sorte, têm trabalho.

Na carrinha onde um casal segue mudo, separados pelo quotidiano, o condutor de olhar vazio pensa na secretária onde se vai sentar oito horas. Não tem importância, nada tem importância. Não falta muito para o fim-de-semana.

O homem de fato cinzento sem traça, naquele carro cinzento sem marca, a ouvir notícias sem graça, pode ser qualquer coisa; vendedor de electrodomésticos, médico, cobrador do fraque.

Na paragem do autocarro o rapaz da mochila vai olhando para os carros como num jogo de ténis. Divaga… pensa na Sónia, Gestão Empresarial, e nas sapatilhas novas que já cheiram mal.

Olho para o carro ao lado e vejo pela janela aberta que as coisas não estão bem, o pão estava duro e não havia leite, o miúdo continuou a dormir e o cheiro a álcool empestava a casa. Vê-se nos gestos, na cara cerrada, que o dia (o mês? o ano?) não vai correr bem.
- Não me chateies, tenho culpa que o semáforo esteja vermelho?
- Porque vens sempre por aqui? És teimoso como uma mula.
- Vai-te f…

No monovolume à frente ouve-se Shakira, as duas filhotas batem palmas e a mãe também canta, vai deixa-las na escola, e depois demora 45 minutos até ao emprego. Só chega a casa pelas 7 da tarde e ainda tem que fazer o jantar, mas o que interessa é que está sol e os seus tesouros felizes.

Fica verde, o carro de trás está com pressa, quer passar-me por cima, tem coisas importantes para fazer, ou acha que tem. Ninguém lhe liga, que vida...

4 comentários:

  1. O que nos vale é que o Benfica perdeu. Nem tudo é mau.

    ResponderEliminar
  2. E ninguém reparou no voo rasante das gaivotas...
    E ninguém se encantou com o sol tímido, e com vento frio, e com cheiro a mar...
    Mais vale mudar de caminho.

    ResponderEliminar
  3. Como ouvi hoje:

    IVA PORTUGAL!!!

    Um abraço

    JAC

    ResponderEliminar